modelo de trabalho híbrido apresenta uma oportunidade de combinar o melhor do trabalho remoto e presencial.

Este modelo, alimentado pela pandemia, parece ter apelo amplo e de longo prazo: em uma pesquisa da Accenture de março de 2021 com mais de 9.300 profissionais em todo o mundo, 83 por cento dos entrevistados disseram que prefeririam um modelo de trabalho híbrido no futuro.

O modelo de trabalho híbrido traz flexibilidade para os indivíduos e para a organização como um todo. Mas “flexível” não deve ser mal interpretado como “improvisado”. Fale com qualquer líder que esteja construindo ou administrando um local de trabalho híbrido, e eles concordam quase que universalmente: o sucesso híbrido requer estruturas bem definidas e uma gestão forte. 

Consistência e coesão são fundamentais; sem ambos, você corre o risco de essencialmente ter duas (ou mais) organizações separadas – uma que funciona no local e outra que funciona em outro lugar. Nesse conteúdo, vamos te passar 5 boas práticas para gerenciar times no modelo de trabalho híbrido.

1. Crie uma padronização de como o trabalho é feito

Dado que o trabalho híbrido é um novo paradigma para muitas organizações e pessoas, você provavelmente precisará encontrar novas maneiras de fazer as coisas. É necessário que haja processos e fluxos de trabalho consistentes em todos os modos de trabalho e locais.

Tenha uma estrutura para completar as tarefas. As equipes híbridas devem ter uma call inicial ao iniciar novas atividades para garantir que todos os participantes tenham o mesmo nível de compreensão das tarefas em questão. Todos devem estar cientes das prioridades gerais, bem como dos mecanismos para identificar quaisquer questões que precisam ser abordadas.

Isso é parte do apelo do modelo híbrido: você pode definir suas próprias melhores práticas para fazer as coisas, desde que estejam alinhadas com sua equipe.

2. Torne o trabalho visível

A visibilidade é o antídoto para a desconfiança.

Isso não significa que os gerentes de repente precisam controlar as pessoas virtualmente. Nem precisam se tornar micro gerenciadores em ambientes híbridos. Em vez disso, você precisa garantir que sua equipe esteja ciente das funções e responsabilidades e tenha uma maneira de ver o progresso em geral sem se sentir paranóica ou gerar toxicidade.

Torne o trabalho visível. Isso pode ser por meio de ferramentas de acompanhamento de atividades ou atualizações regulares da equipe. Com o trabalho híbrido, as pessoas têm mais probabilidade de trabalhar de forma assíncrona, portanto, é muito valioso ter uma maneira eficaz para os colegas de equipe verificarem o status do trabalho compartilhado.

3. Adapte seu processo de onboarding

Enquanto muitas organizações mudaram abruptamente para operações remotas em 2020 por necessidade, o modelo híbrido é geralmente uma estratégia de longo prazo. Você deve considerar não apenas as pessoas que você tem em sua equipe hoje, mas também as pessoas que podem se juntar a ela amanhã.

Trazer novos membros para uma equipe híbrida exige que você pense em todas as partes da cultura e do fluxo de trabalho que podem ter sido transmitidos sem pensar se as pessoas estivessem trabalhando juntas em um escritório.

Se houver muitas informações não escritas necessárias para ter sucesso, o novo membro da equipe irá, na melhor das hipóteses, progredir mais lentamente ou não encontrará a nova função satisfatória, enquanto o restante dos membros da equipe não colherá os benefícios de uma nova pessoa para ajudar no trabalho.

Um princípio geral: os novos contratados devem ter experiências de integração bastante consistentes, independentemente de seu local de trabalho principal.

4. Tenha um plano para gerenciar conflitos

Qualquer modelo operacional pode parecer o modelo “certo” quando as coisas vão muito bem. Os testes mais difíceis surgem quando você encontra atrito.

Para a construção de uma cultura de trabalho híbrida e saudável, você precisa garantir que está escolhendo o momento e o lugar certos para gerenciar e resolver divergências e disputas diretas. O conflito é inevitável (e cuidado com o gerente que pensa o contrário) – o mais importante é como você lida com ele.

Trazemos aqui dois princípios para manter em mente ao lidar com conflitos em sua equipe híbrida. Em primeiro lugar, privado é melhor do que público quando se trata de mediar desacordos. Uma videochamada individual ou em pequenos grupos é quase invariavelmente uma escolha mais sábia do que uma mensagem assíncrona em um canal de bate-papo para toda a equipe.

Em segundo lugar, maior interação (ou seja, videochamada ou encontro síncrono) é melhor do que menor interação (ou seja, troca de mensagens ou e-mail). Conversas privadas com maior interação têm duas vantagens: elas nos permitem perceber uns aos outros como pessoas complexas e multidimensionais e construir laços.

5. Ajuste seu radar para o esgotamento dos colaboradores

Os líderes devem estar cientes dos sinais de esgotamento em seus colaboradores. Aqueles que trabalham remotamente podem acabar estressados, irritáveis e exaustos devido às interações mínimas com seus colegas e ao abuso do ambiente virtual.

E vamos encarar: quase todo mundo pode e deve ser perdoado por se sentir um pouco estressado, irritado ou exausto depois do último ano. Tem sido muito difícil e ainda há muitas incertezas pela frente.

Portanto, os líderes de equipes híbridas devem estar atentos ao esgotamento – com pessoas que trabalham no local, remotamente ou ambos – e como combatê-lo. No nosso último conteúdo, trouxemos dicas do que fazer quando seu time passa por essa situação. Vale a pena conferir!

Com esse cenário de mudanças, é normal que todos passem por um processo de adaptação, inclusive os gestores. Você se sente preparado para liderar no modelo de trabalho híbrido? Conta pra gente nos comentários se essas dicas ajudaram!

new-logo-alternative

Copyright © 2021 Placehub